Lidando com as Deidades

Boa tarde pessoal! Hoje vou comentar um pouco sobre como lidar com as Deidades, ou seja, como devemos nos portar diante dos Deuses, seja na hora de convidá-los para o círculo, para algum ritual, para uma oração, encantamento, enfim, é um texto base de como deve ser a nossa postura diante Deles.

NOTA: Resolvi pegar o texto do livro A Arte, da autora Dorothy Morrison sem alterar nada. Como vocês devem ter percebido, nos assuntos iniciais da Wicca, a base de tudo, estou tendo bastante influência deste livro e dessa autora. Até então, não havia lido nenhum livro dela, este é o primeiro e estou gostando muito! Diferente da maioria dos livros base da Wicca, este contém várias coisas além do principal, vale muito a pena ler este livro!

Levando em conta que somos reflexos dos Deuses e que eles também são o nosso reflexo, não é de estranhar que eles tenham uma certa dose de fraquezas. Embora não sejam fraquezas do tipo que você possa imaginar, a verdade pura e simples é que eles gostam de ser louvados. Adoram ser entretidos. Amam convites formais para rituais e simplesmente adoram uma boa dose de bajulação. Mas tudo isso não é tão ruim assim! Nós também adoramos todas essas coisas.
Por isso é importante frisar que, quando lidamos com os Deuses, devemos dar a eles somente o que é do seu agrado. Afinal, como é que você pode esperar ser ajudado por alguém que não sabe o quanto você o aprecia? Pense bem a respeito disso e procure demonstrar o seu apreço.
Eis o trato: você não só deseja que os Deuses se alegrem ao ouvi-lo, mas também quer que o ajudem na hora em que precisar. E para isso é necessário que alguma forma de fascínio esteja atuando. Você precisa então de alguma coisa que os atraia e os fascine. Mas não precisa ser muita coisa! E a melhor tentação que conheço é certamente uma invocação apropriada ou um canto escrito em dísticos.

Os dísticos - uma forma de poesia na qual as duas últimas palavras, em cada par de versos, rimam - são fáceis de escrever. Você não precisa ser um poeta para isso nem precisa ter talento para a escrita. Tudo o que é necessário consiste em papel, algo para escrever, alguma ideia e um pouco de esforço. (E um bom dicionário de rimas por perto!) Ao trabalhar, por exemplo, com tentativas de proteção, você pode simplesmente dizer algo assim:

Deusa graciosa, proteja-me de todo mal visto e não visto!

No entanto, quando esta frase é trabalhada na forma de dístico, o requerente talvez possa ler algo assim:

Ó graciosa Deusa, ouça o meu pedido.
Proteja-me de todo mal conhecido e desconhecido!

O procedimento é muito simples. E a "simplicidade" é a chave para se compor dísticos de forma efetiva. Eles não precisam ser rebuscados e funcionam de maneira satisfatória por mais simples que sejam. Porém, lembre-se de não deixar que as palavras e as ideias o dominem. Pois o objetivo aqui consiste em fascinar e divertir. E não há nada mais divertido do que um ou dois versinhos!
Ao contrário de algumas deidades cultuadas por outros grupos religiosos, as nossas possuem um grande senso de humor. Elas adoram rir e brincar. E também gostam de vez por outra presenciar uma situação divertida, especialmente quando o episódio acontece com o outro. Eis por que você não deve ficar constrangido ou se envergonhar se, na hora de dizer uma invocação previamente ensaiada, começar a gaguejar. Encare a situação com todo o seu humor e siga em frente. Isto não servirá de obstáculo à sua magia e os Deuses continuarão amando-o da mesma maneira que antes. Talvez até um pouco mais.
(FONTE: Livro a Arte, da autora Dorothy Morrison.)

Uma coisa que é importante salientar sobre os dísticos, é que eles dão o clima. Quando a invocação é feita em dístico, a mágica flui mais fácil, a atmosfera do lugar se torna mais propícia para que tudo dê certo. Seu ritmo nos transporta para outras dimensões e também são um ótimo caminho para que consigamos entrar em Alpha. Além disso tudo, eles são o caminho mais rápido para que seu encantamento dê certo e não se perca na hora! Espero que tenham gostado do texto! Blessed be.

A Conexão entre Sol e Deus

Deus Sol, origem Maia.

Dando continuidade na nossa lista de conexões dos satélites principais com os Deuses, nesta vamos ver um pouco sobre o Deus e as influências do horário solar em cada face Dele. O sol é masculino por natureza, ao contrário da misteriosa lua, sua energia é fácil e direta. Outra coisa que não possui em comum com a Lua e que devemos prestar bastante atenção na hora dos rituais, é o movimento solar. A lua possui um movimento quaternário, já o sol troca de fase várias vezes ao dia, nos possibilitando que uma infinidade de trabalhos mágicos sejam feitos. O sol também possui várias características e propriedades, fazendo com que possamos utilizá-lo (as vezes em conjunto com a lua) em quase todos os fins mágicos.

FONTE: Não vou alterar e nem colocar minhas palavras nesta lista, ela foi retirada do livro A Arte, da autora Dorothy Morrison.
PS: Não foi possível criar um esquema de imagens como os que fiz na conexão entre Lua e Deusa, mas a legenda está bem clara, não haverá problema nenhum na compreensão!

Nascer do Sol (Jovem Senhor / Sol Recém-nascido): O nascer do sol oferece uma ótima oportunidade para os esforços que envolvem começos, mudança e purificação. Ele também é benéfico para os trabalhos relacionados com novo emprego, amor e direção na vida. E também podem obter benefícios desta energia os problemas que envolvem renascimento da esperança e da confiança, saúde e até a cura de um coração partido.
Sol da Manhã (Jovem Senhor / Adolescente): Durante as horas matinais, a energia do sol se torna forte e ativa, de moto que os projetos que demandam construção, crescimento e expansão se beneficiam enormemente nesta fase. Ela também oferece a energia perfeita para expandir os aspectos positivos da vida, para resolver situações nas quais a coragem é necessária, e para juntar calor e harmonia à casa e aos relacionamentos. Utilize ainda esta fase para incrementos financeiros e jardinagem mágica.
 Sol do Meio-dia (Cornífero / Homem Verde): Ao meio-dia, o poder do sol atinge o seu ápice. Portante, esta ocasião é perfeita para os trabalhos relacionados com habilidade mental, saúde e energia física. E também é ideal para energizar cristais e pedras, e os instrumentos habitualmente utilizados nos rituais, como atames, turíbulos e caldeirões.

Sol da Tarde (Pai): À medida que o sol declina, sua energia torna-se naturalmente mais receptiva. Utilize-a então nos esforços que envolvem profissionalismo, negócios, comunicação e clareza. Esta energia também é excelente para os assuntos que têm a ver com descobrir, desbravar e viajar.

Pôr-do-sol (Ancião): Esta ocasião é excelente para todo tipo de coisa ou de trabalho que requeiram redução ou alívio. Utilize-a para remover estresse, ansiedade, confusão, carga pesada e depressão, e também para divulgar decepção e dieta.


Este foi o nosso guia solar, você deve ter percebido que o Sol contém muita energia, energia direta e poderosa que pode ser utilizada para quase - ou senão todas - todas as práticas e trabalhos mágicos. Existe também a possibilidade de combinar a energia solar com a energia lunar, é algo muito poderoso e requer que o Bruxo esteja familiarizado com ambas as energias, para conseguir trabalhar com as duas em conjunto. Espero que tenham gostado de ler o texto, isso realmente ajuda a quem está começando e até os que já estão no caminho da Arte a algum tempo. Blessed be!

Links que talvez você possa gostar:

A Conexão entre Lua e Deusa

O símbolo  da Lua Tríplice, representando as três fases da Deusa.

Boa tarde povo da Deusa! Como vocês sabem, o satélite regente da Deusa é a Lua, em todas as suas fases. Cada uma de suas fases, crescente, cheia, minguante e nova, representa uma face da Deusa. Cada uma dessas faces possui personalidades e vibrações específicas, que, se usadas corretamente tanto na magia, quanto em outros assuntos, terá bons resultados. É por isso que eu considero essa lista muito importante, ela não é somente um complemento mais específico sobre cada uma das faces da Deusa, mas um guia que você poderá utilizar de várias maneiras, é também uma ótima lista para ter em seu Livro das Sombras (logo falarei sobre ele). 

FONTE: Não vou alterar e nem colocar minhas palavras nesta lista, ela foi retirada do livro A Arte, da autora Dorothy Morrison.


Lua Crescente (Donzela Luminosa): Quando a lua cresce em direção à sua fase cheia, nós utilizamos suas energias para todo tipo de coisa que requeira aumento, crescimento e incremento. Este é um ótimo período para trabalhos que envolvam novos começos, inspiração, novos amores, amizades, incremento nos negócios e prosperidade financeira. Esta lua também oferece condições favoráveis para a cura, incremento do vigor físico, desenvolvimento psíquico e plantio da horta e do jardim.

Lua Cheia (Mãe): A energia da lua torna-se mais potente quando ela atinge este estágio. Embora a utilizemos para impulsionar qualquer tipo de esforço, o seu real benefício consiste em dar acabamento às obras e às situações difíceis.


Lua Minguante (Donzela Sombria): Quando a lua sai de sua fase cheia, encaminhando-se para sua fase nova, utilizamos suas vibrações para qualquer coisa que requeira decréscimo ou eliminação. Esta energia atua com eficácia nos esforços que envolvem dietas, quebra de maus hábitos, eliminação do estresse ou da depressão e rompimento de padrões improdutivos de relacionamentos.

Lua Nova (Anciã): Alguns praticantes utilizam esta fase para descanso, regeneração e reagrupamento. Mas outros se valem das energias desta lua para trabalhos psíquicos, artes divinatórias, investigação de vidas passadas e problemas nos quais a verdade deve ser esclarecida.

Essa lista é o seu ponto de partida, com ela você tem a base para dar continuidade no seu próprio calendário mágico, efetuando os rituais lunares, como os Esbás, rituais pessoais, etc. Obrigado por terem lido este texto, Blessed Be!

Links que talvez você possa gostar: